PROJETOS DE PESQUISA

Avaliação das competências cognitivo-motoras em alunos da rede municipal de São Fidélis e suas possíveis interações com a dieta oferecida pela escola

 Coordenador: Guilherme Rodrigues Rabelo

 Pesquisadores CENSUPEG: Fabrício Bruno Cardoso, Juliana dos Santos Vilar e Rita Russo

Pesquisadores Externos: Alfred Sholl Franco

Alunos de Iniciação Científica: Camylla Rodrigues Viana Bairral e Deizeane da Costa Abrêu.

 Justificativa: Verifica-se que crianças com dificuldades de aprendizagem apresentam maior lentidão e menor atenção quando da realização de tarefas específicas, o que prejudica a realização de tarefas motoras. Cabe ressaltar que boa parte das crianças não superaram suas dificuldades motoras e que essas acarretam em prejuízos em outras áreas, afetando assim a capacidade de aprendizagem, que envolve o processamento de informações e a integração entre as áreas corticais, base para o desenvolvimento acadêmico nas fases iniciais no ensino formal.

Objetivo: A partir do comentado o objetivo deste projeto será estabelecer uma possível correlação entre o desempenho motor de crianças com dificuldades de aprendizagem com seu desempenho cognitivo, levando em consideração a dieta diária dos alunos.

Metodologia: Participarão deste estudo 400 crianças com idade entre 6 e 10 anos do sexo masculino. Os protocolos a serem utilizados foram aprovados pelo comitê de ética da UFRJ sob nº de parecer (517.483) e realizados no ambiente escolar. Para a avaliação do desempenho motor geral os  participantes serão  submetidos a bateria de testes MABC-2, a TGMD-2 e a escala de Disgrafia proposta por Lorenzini (EDG). Para avaliação cognitiva os participantes serão submetidos ao Instrumento Neuropsicopedagógico de Fotolinguagem.

Resultados preliminares: Nossos resultados preliminares mostram que os coeficientes obtidos na MABC-2 e no TGMD-2 encontram-se positivamente correlacionados com a EDG,pois as crianças que obtiveram os maiores escores na MABC-2 e no TGMD-2 tendem a ser associadas com os melhores escores na. EDG. Essa relação é bastante forte, conforme indicado através de um coeficiente de correlação, r =0,997 (p <0,001).

 

Atuação neuropsicopedagógica no ambiente escolar

Coordenador: Rita Russo

 Pesquisadores CENSUPEG: Fabrício Bruno Cardoso, Cláudia Maria Sedrez Gonzaga,

 Pesquisadores Externos: Alfred Sholl Franco (UFRJ), Mariza Sodré (UFRJ) e Anna Carolina Miguel (UFF)

Alunos de Iniciação Científica: Angélica Pereira de Azevedo, Daianne Tavares Aguiar Silveira e Dirce Dias de Azevedo,  Clodinalva Andrade Silva, Vera Lúcia dos Santos, Valdinéia Souto Fratane, Valdilene Mendonça Soares Diniz, Alcione Ribeiro Tannus, Gedeilza Godinho de Souza Alves, Jorge luiz de Jesus Aguiar, Pamela Lima Vieira.

Justificativa: Estudos recentes apontam que os transtornos de aprendizagem acometem cerca de 10 a 30% da população escolar e apesar da significante prevalência, perde para as dificuldades de aprendizagem provocadas por questões extrínsecas ao aprendiz, tais como fatores político-educacionais, emocionais e metodológicos, sendo estas últimas superáveis com intervenções neuropsicopedagógicas (Rabelo e Cardoso, 2009). Mas, se a porcentagem é relativamente baixa, por que observamos os excessivos encaminhamentos que as escolas vêem fazendo aos serviços de saúde? Esse fato revela o despreparo de professores e profissionais de educação para reconhecerem, ou mesmo lidarem, com estas dificuldades. Nesse sentido é fundamental o desenvolvimento de instrumentos neuropsipedagógicos, aplicáveis em sala de aula (coletivos), que ajudem o professor tanto na tarefa de rastreamento de escolares de risco, como, consequentemente, na intervenção precoce, Independentemente de diagnóstico definitivo, em uma atitude conhecida como responsividade ou intervenção neuropsicopedagógica.

Objetivos: Estabelecer a  importância  da criação de  um instrumento neuropsicopedagógico para o diagnóstico precoce de atrasos, transtornos e altas habilidades relacionadas ao desenvolvimento motor, cognitivo e afetivo de crianças ; Avaliar nível de conscientização dos professores da rede de ensino sobre o que são dificuldades de aprendizagem e transtornos de aprendizagem.

Metodologia: Participarão deste estudo 400 professores da rede pública de ensino da cidade de São Fidélis e 400 alunos de ambos os sexos com idade compreendida entre 5 a 10 anos.  Os professores serão submetidos inicialmente a um questionário sobre nível de conscientização sobre dificuldades e transtornos de aprendizagem, posteriormente seraão convidadaos a participar de um curso de formação continuada em neuropsicopedagogia e aprendizagem com duração de 30 horas. Num terceiro momento farão parte da validação qualitativa dos instrumentos a serem desenvolvidos para identificação precoce de alterações ou altas habilidades em crianças em relação ao desenvolvimento cognitivo, desenvolvimento motor e afetivo. Já as crianças serão submetidas aos instrumentos mencionados anteriormente num sentido de validação quantitativa.

Resultados preliminares: Nossos resultados preliminares mostram que a maioria dos professores não consegue distinguir dificuldades de aprendizagem de transtornos, e que não são capazes de identificar a presença de altas habilidades em seus alunos antes dos 9 anos de idade.

 

Avaliação dos efeitos de um programa interativo de exercícios físicos no desenvolvimento perceptivo-motor de crianças com dificuldades de aprendizagem

 Coordenador: Fabrício Bruno Cardoso

 Pesquisadores CENSUPEG: Rita Russo,  Cláudia Maria Sedrez Gonzaga,

Pesquisadores Externos: Alfred Sholl Franco (UFRJ), Jorge Alberto Oliveira (USP), Flávia Aquino (USP) e Roseane Nascimento (USP)

 Alunos de Iniciação Científica: Camylla Rodrigues Viana Bairral e Deizeane da Costa Abrêu.

Justificativa: Através de diversos estudos é possível verificar que o desenvolvimento perceptivo-motor compreende uma interiorização progressiva de formas lógicas, que se manifestam, primeiramente, através da ação motora e, posteriormente, através de uma total representação simbólica. A criança tem suas experiências assimiladas às estruturas existentes e as novas estruturas adquiridas tornam possível a acomodação às demandas impostas pelo meio no qual a criança interage. Desta forma, podemos dizer que a criança deve aprender a organizar e integrar o sistema atencional com o sistema de ação, para que consiga adaptar as suas respostas perceptivo-motoras de acordo com os estímulos recebidos. Essa adaptabilidade envolve o desenvolvimento e o refinamento do mundo espacial e temporal adequado, o que torna essas estruturas fundamentais para a aquisição de outras capacidades importantes para nosso desenvolvimento humano e acadêmico. Estudos recentes demonstram que grande parte das crianças com dificuldades de aprendizagem apresentaram atrasos no desenvolvimento dos componentes perceptivo-motores, particularmente, aqueles relacionados às noções corporais, espaciais e temporais, o que torna o estudo destes processos de grande importância nestes indivíduos.

Objetivos: O presente estudo tem como objetivo avaliar os efeitos de um programa interativo de exercícios físicos no desenvolvimento perceptivo-motor de crianças com dificuldades de aprendizagem, com idade entre 6 e 8 anos; – Comparar o desenvolvimento perceptivo-motor entre crianças com dificuldades de aprendizagem e  crianças sem estas dificuldades;  Identificar o padrão cortical de crianças com e sem Dificuldades de Aprendizagem durante a fase de planejamento motor para realização de uma tarefa motora complexa; Identificar os efeitos do IPEP no tempo de latência das regiões frontais de crianças com e sem dificuldades de Aprendizagem .

Metodologia: O universo desse estudo será composto, a princípio, por 200 crianças com idades entre 6 e 7 anos, de ambos os sexos, estudantes da rede pública de ensino da cidade de São Fidélis, a serem divididos da seguinte forma conforme os procedimentos experimentais: Grupo A1 – constituído de 50 crianças com dificuldades de aprendizagem que realizarão o programa interativo de exercícios físicos (IPEP);  Grupo A2 – constituído de 50 crianças que não apresentem dificuldades de aprendizagem  que realizarão o programa interativo de exercícios físicos (IPEP); Grupo B1 – constituído de 50 crianças com dificuldades de aprendizagem que não realizarão o programa interativo de exercícios físicos (IPEP);  Grupo B2 – constituído de 50 crianças que não apresentem dificuldades de aprendizagem  que não realizarão o programa interativo de exercícios físicos (IPEP), sendo IPEP composto por um conjunto de três jogos realizados com o equipamento Wii Fit Plus, em três sessões semanais, com duração de 15 minutos cada (total de12 sessões). Para a avaliação do padrão cortical utilizamos registro eletroencefalográfico em 21 canais (sistema 10/20), sendo os sinais adquiridos através do software BWAnalysis entre 0,01 e 100 Hz, com Notch de (60 Hz), durante a realização da tarefa motora (preensão de objeto em queda livre).

Resultados preliminares: Nossos resultados mostram que a realização do IPEP diminuiu o tempo para realização da tarefa motora em 24,45% nas crianças sem DA e de 28,23%% nas crianças com DA .Em relação ao registro da atividade cortical as crianças com TDAH apresentaram inicialmente uma desorganização temporal quando da analise das ondas alfa obtidas nas regiões frontais e parietais em comparação com o padrão obtido em crianças sem DA realizando a mesma tarefa.  Quando avaliadas novamente as crianças com DA que foram submetidas ao IPEP apresentaram, a frequência e a potência de ondas alfa mais organizadas e temporalmente distribuídas, o que sugere um cenário cortical mais favorável para a realização da tarefa motora proposta. Desta forma, nossos dados indicam um papel regulador positivo da atividade física promovida pelo IPEP no padrão de atividade cortical e na organização perceptivo- motora de crianças com DA.

 

Atenção integral à saúde do idoso: contribuições educativas de prevenção e recuperação da saúde e o envelhecimento

 Coordenadora: Letycia Sardinha Peixoto Manhães

Pesquisadores CENSUPEG: Fabrício Bruno Cardoso e Juliana dos Santos Vilar

Pesquisadores Externos: Alisson Padilha de Lima (UPF)

Alunos de Iniciação Científica: Janainy Biachini e Kissila Rangel

Justificativa: Com o crescimento da população idosa e a preocupação desse envelhecer com qualidade cresce a utilidade de se iniciar estudos que visem investigar a autonomia funcional do idoso, controle de quedas e como os profissionais de saúde, destacando de que forma se pode intervir na qualidade de vida desses idosos. As quedas são consideradas hoje como um problema de saúde publica já que o gasto hospitalar e a morte por fraturas tem atingido 60% dos idosos. Em 2005, as quedas foram responsáveis por 54% das causas externas de internações hospitalares em indivíduos com 60 anos ou mais e por 70% das mortes acidentais de pessoas com 75 anos. Neste contexto faz-se necessário pesquisar sobre a perda da autonomia funcional, a redução da variabilidade cardíaca, o risco de queda dessa população.

Objetivos: Analisar alterações na saúde da pessoa idosa devido ao processo de envelhecimento; Implementar as contribuições do profissional de saúde para restabelecimento e manutenção da saúde da pessoa idosa; Avaliar a autonomia funcional dos Idosos utilizando o Teste GDLAM; Comparar os níveis da variabilidade da frequência cardíaca e a autonomia funcional entre idosos institucionalizados e não-institucionalizados; Investigar o Risco de Queda existente nesses idosos participantes da pesquisa.

Metodologia:  Inicialmente participarão do presente estudo 60 idosos que serão divididos em seis grupos iguais ( GA¹ – idosos institucionalizados praticantes de atividade física de maneira regular ; GA² – idosos não institucionalizados  praticantes de atividade física de maneira regular; GB¹ – idosos institucionalizados sedentários; GB² – idosos não institucionalizados sedentários.

Os procedimentos de avaliação serão realizados em quatro etapas: 1ª)Formulário de caracterização do sujeito; 2ª)Formulário para avaliação do risco de queda levando em consideração fatores de risco ambientais, cognitivos, fisiológicos e de medicamentos e aplicação de uma escala validada internacionalmente para risco de queda.; 3ª)Aplicação do Protocolo GDLAM para avaliação da autonomia funcional do idoso; 4ª) Aferição da variabilidade cardíaca através do Polar®.

Resultados esperados: A partir da correlação dos dados dos resultados do protocolo GDLAM com os cálculos da variabilidade cardíaca será possível avaliar a capacidade funcional dos idosos e com esse resultado o risco de queda, e a partir destas análises construir intervenções no campo da enfermagem, da educação física e da nutrição que de fato interfiram na saúde da pessoa idosa, objetivando a melhora da autonomia da capacidade funcional, a diminuição do risco de queda, com impactos diretos em co-morbidades que advém com a incapacidade para realização das Atividades de Vida Diária e com a Queda, reduzindo custos voltados para tratamento desses problemas e impactando no orçamento do sistema único de saúde. Objetiva-se também melhorar a qualidade de vida desses idosos no que tange a fatores modificáveis através dessas intervenções pelos profissionais de saúde.

 

Atuação dos alunos da Graduação em Enfermagem no acompanhamento da situação de saúde de crianças na cidade de São Fidélis

 Coordenadora: Elayne Arantes Elias

Pesquisadores CENSUPEG: Adriane Nunes de Souza

Alunos de Iniciação Científica: Ana Cristina Leonardo Santos, Gessy Moraes Araújo Gaby, Roseli de Oliveira Jorge Souza

Justificativa: A realização desse estudo se justifica em vertentes importantes. Em 2010 havia 39 milhões, 25 mil e 835 crianças de 0 a 12 anos no Brasil, vinte por cento de toda a população do país. No Brasil, 96 por cento das crianças de 5 a 12 anos estavam na escola. Dessas, 83,4 por cento estudavam em escolas públicas.Observa-se a eficácia da consulta de enfermagem. O acompanhamento realizado pela equipe de enfermagem no crescimento e no desenvolvimento infantil, no contexto da atenção primária à saúde, desempenha ações para identificar precocemente alterações de saúde, direcionando as intervenções para a criação e implementação de estratégias de prevenção de doenças, manutenção e promoção da saúde, de acordo com as reais necessidades das crianças. Para os adolescentes, é necessária uma adequada educação sexual também sobre a importância de usar métodos contraceptivos. A multiparidade na adolescência é uma situação cada vez mais frequente, sendo considerada como um fator agravante tanto para o aumento da morbidade materna e fetal, quanto para problemas sociais.

Objetivos: Avaliar as condições de saúde, crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes; Realizar a consulta de enfermagem em puericultura; Identificar fatores biopsicossociais que possam interferir no processo de saúde-doença da população a ser estudada; Promover ações em saúde articulando: aspectos nutricionais, higiene e saneamento e o cuidado de si; Estabelecer estratégias de cuidado de saúde sexual e reprodutiva de jovens/adolescentes.

Metodologia: Trata-se de um projeto de cunho quanti-qualitativo, visto que há a possibilidade de analisar dados numéricos relacionados ao crescimento dos sujeitos, bem como compreender a subjetividade inerente a cada participante e seus familiares. Os sujeitos da pesquisa serão as crianças e os adolescentes pertencentes à rede de ensino da cidade de São Fidélis. Para a obtenção dos dados serão utilizados instrumentos adequados às abordagens quanti e qualitativa (roteiros de entrevista, formulários e questionários). Serão registrados aspectos como: sexo, escolaridade, medidas antropométricas, condições de moradia e saneamento, alimentação e outros aspectos relacionados à Sistematização da Assistência de Enfermagem (anamnese e exame físico). Para a abordagem qualitativa, as entrevistas poderão ser gravadas em multimídia. Para a análise dos dados poderão ser utilizadas as ferramentas numéricas para a proposta quantitativa e a transcrição, análise e compreensão dos depoimentos para a proposta qualitativa. Podendo ainda, utilizar alguns referenciais teóricos-metodológicos adequados aos objetivos do estudo.

Resultados esperados: O presente estudo implicará em impactos positivos para a sociedade no que diz respeito à avaliação de saúde integral de crianças e adolescentes na promoção e prevenção em saúde, bem como na identificação de problemas de saúde e busca de resolutividade dos mesmos. A visibilidade da profissão de enfermagem também será evidenciada, pois muitas das vezes não se reconhece quem o profissional cuidador.

 

 Uso de Práticas Integrativas e Complementares de Saúde junto à Pessoas Idosas: para um cuidado continuado, humanizado e integral 

Coordenadora: Paula Alvarenga de Figueiredo Martins

Pesquisadores CENSUPEG: Letycia Sardinha Peixoto Manhães e Rodrigo Barros Crespo

Pesquisadores Externos: Neide Aparecida Titonelli Alvim (EEAN/UFRJ), Fátima Helena do Espírito Santo (EEAAC/UFF) e Valquíria Carvalho Silva (EEAAC/UFF)

Alunos de Iniciação Científica: Maria Eduarda Natal

 Justificativa: A implementação práticas como a acupuntura, fitoterapia, massoterapia, florais, cromoterapia, aromaterapia, musicoterapia, reiki, ioga, reflexologia podal, aplicação de calor e frio, exposição ao sol, toque terapêutico, dentre outras, em conformidade com os objetivos de sua incorporação no cuidado em saúde, corrobora com a tentativa do rompimento da hegemonia do modelo biomédico, que trata apenas da parte física avariada, sem haver a preocupação, entretanto, com o todo. Contemplar o conjunto biopsicosocioespiritual do indivíduo torna o cuidado em saúde integral e, portanto, holístico. Estudos mostram que o uso de tais práticas pelas pessoas idosas é prevalente. Sabe-se que o Brasil, assim como outros países em desenvolvimento, está vivendo uma transição demográfica, com o aumento da expectativa de vida e crescimento da população idosa. No entanto, juntamente com o envelhecimento populacional, ocorre aumento da prevalência de doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs) e incapacidades, demandando maior utilização dos serviços de saúde. Nessa direção, considerando o saber popular de Pessoas Idosas acerca do uso de PICS, dar voz à esses sujeitos experientes é relevante, com implementação da prática dialógica. Essa medida possibilita o compartilhamento de saberes e práticas com profissionais de saúde acerca da temática em tela. Salienta-se, assim, a partir da testagem das práticas mencionadas, a constatação da efetividade das diversas possibilidades terapêuticas das PICS, no âmbito das Políticas Públicas de Saúde atuais, de modo que haja a integração de práticas naturais no cuidado tradicional à saúde.

 Objetivos: Analisar os limites e as possibilidades do uso de PICS junto à pessoas idosas a partir dos seus saberes e testagem das práticas desveladas para a promoção e recuperação da saúde; Desvelar os saberes e práticas de pessoas idosas sobre o uso de PICS na promoção e recuperação da saúde; Identificar a eficácia do uso de PICS na promoção e recuperação da saúde de pessoas idosas; Discutir os limites e as possibilidades do uso de PICS junto à pessoas idosas no âmbito das Políticas Públicas de Saúde.

 Metodologia: O referido projeto terá úa metodologia dividida em duas fases: 1ª) Pesquisa de campo exploratória e descritiva, do tipo qualitativo. Será desenvolvida junto à grupos de idosos, em multicenários: CENSUPEG (espaço universitário e Unidades Básicas de Saúde do município); UFRJ (Hospital Escola São Francisco de Assis) e UFF (Espaço avançado, CRASI e EASIC). Será utilizado o Método Criativo e Sensível (MCS), teorizado por Cabral (1998) como eixo produtor de dados para construção, análise e validação dos resultados de pesquisa. No MCS combinam-se ciência e arte, espontaneidade e introspecção, criatividade e sensibilidade, realidade concreta e expressão criativa (CABRAL, op. cit.). Desenvolvimento de dois tipos de Dinâmicas de Criatividade e Sensibilidade (DCS) com cada grupo de participantes, denominadas ‘Almanaque’ para desvelamento dos saberes e ‘Corpo-Saber’ para a captação do uso das PICS no relação análoga com o corpo da Pessoa Idosa. 2ª) Após a identificação e coleta das plantas, estas serão submetidas à secagem em estufa, trituradas e extraídas com etanol a 95% em aparelho de Soxhlet. O extrato hidroalcoólico obtido para cada planta será concentrado em evaporador rotatório obtendo-se um resíduo viscoso denominado de extrato etanólico bruto. Para os ensaios clínicos: serão randomizados triplo cego, empregando o uso das PICS que serão tratadas a cada subprojeto. A amostra será constituída por pacientes idosos.

Resultados esperados: Protocolo de Pesquisa articulado à Extensão Universitária no município de São Fidélis – RJ, onde serão articuladas ações voltadas ao tripé ‘Ensino-Pesquisa-Extensão” de uma Instituição de Ensino Superior comprometida com a promoção de valores democráticos de igualdade e de desenvolvimento social, visando atender, de maneira responsável, às demandas da sociedade. Serão desvelados saberes e práticas sobre o uso de PICS, que na continuidade da produção de dados serão testados mediante experimentos e ensaios clínicos. A eficácia do uso de PICS na promoção e recuperação da saúde de pessoas idosas será constatada, de modo a integrar e complementar o cuidado à saúde desse grupo social. Diante dessa investida, serão problematizados os limites e as possibilidades do uso de PICS junto à pessoas idosas no âmbito das Políticas Públicas de Saúde atuais, sobressaltando o impacto político-social da proposta no desenvolvimento tecnológico nacional, mediante publicações de expressividade acadêmica. O projeto de extensão denominado “Cuidar para um Envelhecer Saudável”, complementará as ações da secretaria Municipal de Saúde, trazendo uma nova perspectiva para a cidade, desta vez, em alinhamento com as ações extensionistas e de pesquisa da CENSUPEG, socialmente integrada ao município de São Fidélis.

 

Procurando as altas habilidades/superdotação na Faculdade CENSUPEG: uma revelação necessária

Coordenadora: Susana Graciela Pérez Barrera  Pérez

Pesquisadores CENSUPEG: Fabrício Bruno Cardoso e Rita Russo

Alunos de Iniciação Científica: Angélica Pereira de Azevedo, Daianne Tavares Aguiar Silveira e Dirce Dias de Azevedo.

Justificativa: Calcula-se que de 7 a 10% da população apresenta indicadores de AH/SD, o que quer dizer que há, em média, mais de 600.000 alunos nos bancos das Instituições de Ensino Superior, segundo os dados do INEP (2013). Entretanto, a realidade é ainda mais precária que na Educação Básica, na qual a identificação e o atendimento já estão acontecendo; na Educação Superior, apenas 1.087 estudantes com AH/SD foram registrados no Censo do mesmo ano. Desta forma, identificar os estudantes com AH/SD da CENSUPEG trará ganhos significativos em vários sentidos e para diversos públicos: para os próprios estudantes, para o corpo docente da instituição, para a instituição como um todo e para as escolas públicas e privadas da região.

Objetivos: Promover o desenvolvimento de um programa de atendimento educacional especializado para os estudantes com Altas Habilidades/Superdotação da Faculdade CENSUPEG; Identificar os alunos com indicadores de AH/SD das turmas iniciais dos cursos da Faculdade CENSUPEG; Investigar as necessidades educacionais específicas desses alunos; Promover estratégias de sensibilização sobre as AH/SD com docentes, alunos e gestores da CENSUPEG; Capacitar docentes e  alunos do cursos de pedagogoia e neuropsicopedagogia da CENSUPEG para o atendimento educacional especializado aos estudantes com AH/SD.

 Metodologia: Para desenvolver este projeto será utilizada uma abordagem qualitativa, um estudo descritivo-exploratório, com a utilização de instrumentos padronizados para a identificação dos estudantes – LIVIAHSD – Lista de Verificação de Indicadores de Altas Habilidades/Superdotação (2015), Questionário de Identificação de Indicadores de Altas Habilidades/Superdotação – Adultos (FREITAS; PÉREZ, 2012), entrevistas, grupo focal, desenvolvimento de cursos de capacitação, extensão e material informativo.  Uma vez identificados formalmente, ainda será feita uma entrevista para complementar os dados e recolher dados para a constituição do/s grupo/s focal/is . A sensibilização, capacitação, e desenvolvimento de material informativo deverão acontecer concomitantemente ao processo de identificação.

Resultados preliminares: Num estudo piloto realizado com a turma de Educação Física, foram identificados quatro possíveis alunos que possuem altas habilidades para música, artes, tarefas verbais-linguísticas e liderança. Após a segunda fase de entrevistas verificou-se que apenas um desses alunos realmente possuía uma alta habilidade. Fica evidenciado que este aluno precisará receber uma atenção diferenciada no seu processo educacional, social, dentre outros, Essa diferenciação se faz necessária, em virtude das peculiaridades desse estudante na aprendizagem e nos interesses incomuns, as quais podem resultar em diversos problemas/dificuldades, quando negligenciadas, principalmente a evasão.